JPA - Introdução

Java Persistence API é um framework para camada de persistência dos dados, pode ser utilizado no contexto Java EE (Java Enterprise Edition) e Java SE (Java Standard Edition). Utilizando este framework temos uma facilidade maior para desenvolver a camada de comunicação entre o Java e o banco de dados.

Algumas das facilidades que temos ao utilizar JPA são:

  • Conversão de registros do banco de dados em objetos Java.
  • Não precisa criar códigos SQL para salvar, alterar ou remover registros do banco de dados.
  • A aplicação não fica presa a um banco de dados, podemos trocá-los sem muito problema.
JPA

Também aumenta a produtividade dos desenvolvedores que utilizam o banco de dados, deixando de forma transparente a utilização do banco de dados, principalmente por não deixar a programação Java presa a um tipo especifico de banco de dados.

Para que possamos trazer informações do banco de dados e converte-las em classes Java, acaba sendo um pouco trabalhoso, pois temos que verificar campo a campo com qual atributo ele corresponde, às vezes é necessário fazer uma conversão do tipo de dado declarado no banco de dados com o tipo de dado utilizado na classe. O mesmo processo ocorre quando temos objetos Java na memória e queremos guardar suas informações no banco de dados.

O JPA utiliza o conceito de mapeamento objeto/relacional (ORM – Object / Relational Mapping) para fazer um mapeamento entre a base de dados relacional e os objetos Java, ou seja, o próprio framework faz o relacionamento entre os atributos das classes Java com a tabela do banco de dados.

Mapeamento objeto / relacional

No exemplo acima o JPA irá gerar uma instância da classe Produto, para cada linha da tabela Produto, e também atribui os valores das propriedades da classe Produto de acordo com os valores das colunas da tabela.

Mapeamento objeto / relacional